sábado, janeiro 20, 2007

Ler por favor post no

Incandescente.

terça-feira, janeiro 16, 2007

The View

Os The View — o baixista Kieran Webster, o guitarrista Pete Reilly, o vocalista Kyle Falconer e o baterista Steve Morrison — juntaram-se em Dundee, perto da costa leste da Escócia, em 2005, quando nenhum deles ainda tinha atingido os 20 anos.
Antes de terem atingido o Reino Unido com a sua música energética, meio punk, meio rock, eram uma banda de covers.
Em 2006,com apenas dois pequenos concertos feitos na Europa, assinaram com James Endeacott (1965 Records), que já tinha trabalhado com outras bandas com actuações efusivas similares – os The Strokes e os The Libertines.
Hats Off to the Buskers, o álbum de estreia, cujos singles "Superstar Tradesman" e "Wasted Little DJ's”, já tinham atingido os tops britânicos, teve lançamento no Reino Unido, no corrente mês. A versão americana terá lançamento durante o próximo mês de Março.
As influências dos The View, são fáceis de reconhecer para quem os ouve e incluem os de The Clash, Oasis e The Libertines. O que não será tão fácil de reconhecer são as letras das músicas onde o vocalista Falconer vai ao encontro de algumas raízes linguísticas escocesas.

O outro single de apresentação, "Superstar Tradesman”, roda aqui.
Para ver e ouvir fica o tema "Wasted Little DJ's.

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Esquecidos, demasiado, mas serão sempre uma das maiores bandas de guitarras que varreram o firmamento da pop. Porque é tempo de cinza. E

o frio se faz sentir. Os the sound, como chama.

sábado, janeiro 13, 2007

Porque é sábado, porque sim, porque já vomito o políticamente correcto e mais esta merda toda!


terça-feira, janeiro 09, 2007

The Long Winters

Os The Long Winters, a banda indie rock, oriunda de Seattle, do músico John Roderick que, desde 2002, o ano da sua estreia com "Worst You Can Do Is Harm", com os restantes musicos têm oferecido um trabalho que é verdadeiramente do coração, um pouco amargo, doce e por vezes sarcástico.

Putting the Days to Bed,
o terceiro LP dos Long Winters, combina a intimidade das letras e e complexidade melódica ouvida no EP Ultimatum, de 2005, com os sons mais insistentes da guitarra.
Os dois lados do músico John Roderick juntam-se pata criar o álbum mais completo, até à data dos The Long Winters.


Retirado do último álbum: Putting The Days To Bed, fica para ouvir: "Fire Island, AK".

segunda-feira, janeiro 08, 2007

Rok'on!



sábado, janeiro 06, 2007

O regresso da Iguana.
Clicar
aqui.

quarta-feira, janeiro 03, 2007

No dia de hoje, votos de tudo de bom dos teus amigos. Sê feliz.



Para a Sea.

sexta-feira, dezembro 29, 2006

Bom Ano Novo, até,



fiquem mesmo bem. Assim, Like a Hurricane. Quando uma canção é uma vida ou quando a vida, a nossa, cabe toda numa canção.

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Styrofoam

Styrofoam, é um projecto electrónico oriundo da Bélgica, sob o pulso de Arne Van Petegem, uma espécie de "indietronic".

No álbum, Nothing's Lost, de 2004, Styrofoam trabalhou, em conjunto, com vários artistas, como: Valerie Trebeljahr (Lali Puna), Andrew Kenny (The American Analog Set), Ben Gibbard (Death Cab for Cutie).

O produtor Arne Van Petegem já tinha feito uma aproximação no álbum precedente, "I'm What's There to Show That Something's Missing", no ano anterior. Um álbum “marchanche” que se assemelha frequentemente a um longo, remix de “Leave Alone”, dos New Order.

Em 2006, Fat Jon, chamou os Styrofoam, pela mão de Arne VanPetegem, para colaborar no seu mais recente trabalho, onde se misturam dois géneros músicais e o resultado, "The Same Channel", foi um álbum indie-electronica/hip-hop.

Para escutar fica o tema "Make it Mine", do ábum Nothing's Lost.


terça-feira, dezembro 26, 2006

I FEEL GOOD! LIKE A SEX,


LIKE A SEX MACHINE!!!

sexta-feira, dezembro 22, 2006

Imbuído de espírito de natal,




fuck!

terça-feira, dezembro 19, 2006

The Perishers

Os The Perishers, são uma banda sueca de indie rock (sim, a Suécia é muito fértil em lançar bandas, tal como o Reino Unido).


Em 1997, 6 jovens rapazes, em Umeå, na Suécia, sentiram necessidade de iniciar uma banda. Todos eles já tinham tocado antes e já se conheciam há algum tempo. No entanto, nenhum deles alimentava um grande sonho ou que conseguissem obter sucesso, tal como muitos jovens pensam, quando inicam uma banda.
Simplesmente, almejavam divertir-se e, de uma forma humilde, criar a música que eles queriam e que lhes faltava nas suas colecções de discos, ou seja, queriam fazer algo diferente.
Assim, nasceram os The Perishers.

Inicialmente, a banda ensaiava em instrumentos emprestados, numa sala de ensaios também emprestada. À medida que o tempo foi passando, os rapazes foram dando alguns pequenos concertos, na sua terra natal, e gravaram algumas demos. A banda foi melhorando aos poucos e conseguiram desenvolver o seu próprio som.

No início de 2001, os The Perishers conseguiram assinar com a MNW/Nons, o que não foi uma decisão fácil para eles. Nesta altura, a banda estava reduzida a 4 membros, que viviam todos em cidades diferentes e já não faziam apresentações ou ensaios juntos, há bastante tempo. Ainda assim, começaram as gravações do seu 1º álbum "From Nothing To One", lançado em Janeiro de 2002, que conseguiu boas críticas e lhes possibilitou fazerem uma pequena tournée,
Em finais de 2003, foi lançado o 2º trabalho "Let There be Morning", com canções construídas no som delicado dos The Perishers, que tinha sido intruduzido no seu 1º álbum.
Há um claro optimismo neste "Let There be Morning", mas não num sentido repentino como fizeram, por exemplo, os Coldplay, no álbum "A Rush of Blood to the Head", que os tornou estrelas internacionais.
A boa música que os The Perishers produzem, tem passado um pouco despercebida dos grandes sucessos. E ainda bem. Assim, podem continuar a presentear-nos com belissimas canções como esta "Sway", do 2º álbum.


A banda encontra-se, presentemente, a trabalhar no seu 3º álbum.

domingo, dezembro 17, 2006


E uma Páscoa feliz!

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Shout Out Louds

Os Shout Out Louds, são uma banda sueca de indie rock, oriundos de Stockholm, que se juntaram em 2001. Quatro rapazes e uma rapariga compõe a sua formação: Adam Olenius, na voz e guitarra, Ted Malmros, no baixo, Carl von Arbin, na guitarra, Eric Edman, na bateria e Bebban Stenborg, no teclado. Todos eles partilham uma amizade antiga
Originalmente chamaram-se“Luca Brasi”, até que repararam que partilhavam o mesmo nome com uma outra banda. Agora são os Shout Out Louds e que nada tem a ver com os Kiss (a canção Shout It Loud), embora, eles digam que não se importam de beijar em qualquer circunstância (engraçadinhos...)
Escreveram 3 canções e queriam tocá-las para que o público as ouvisse. E assim o fizeram. Quiseram gravar uma demo, com essas 3 músicas e assim o fizeram também. Acabaram por assinar com a Bud Fox Recordings. Foi assim que escreveram mais músicas e as tocaram insistentemente.
Lançado na Suécia em 2003, o álbum “Howl Howl Gaff Gaff”, apenas conheceu edição internacional em 2005. De acordo com o site da banda, deste álbum foram já extraídos 7 singles, o que reflecte o potencial deste disco. Qualquer um dos temas daria um single. São pequenas sinfonias pop que desfilam sem altos nem baixos, com tiradas cativantes, refrões de encher a audição, algumas marcas de sintetizador e um certo ritmo de fazer bater o pé ao mais céptico. Sem ceder a modas ou movimentos, fica a melodia que se torna rainha num disco que não merece ser esquecido.
O último dos singles a ser extraído de “Howl Howl Gaff Gaff”, foi "Please Please Please", editado este ano. Para ouvir.

segunda-feira, dezembro 11, 2006

ISTO NÃO É UMA BANDA. É CULTO.

Só para mesmo para alguns!
THE CURE.
Clicar aqui

quinta-feira, dezembro 07, 2006

Death Cab for Cutie

Os Death Cab for Cutie, são uma banda americana, que se formou em 1997, no estado de Washington, o nome foi tirado de uma canção satírica, interpretada pelos Bonzo Dog Doo-Dah Band, no álbum Gorilla, de 1967 e no filme experimental dos Beatles, Magical Mystery Tour.
Os Death Cab for Cutie começaram como um projecto a solo de Ben Gibbard (o vocalista da banda), enquanto ele era o guitarrista da banda Pinwheel (gravou também o álbum a solo All-Time Quarterback). Como Death Cab for Cutie, Gibbard gravou uma cassete entitulada "You Can Play These Songs with Chords", que acabou por ter um surpreendente sucesso e Gibbard decidiu expandir a banda a um projecto completo.

Foi assim que a ele se juntaram: Christopher Walla, na guitarra eléctrica, Nicholas Harmer, no baixo e Nathan Good, na bateria. Foi esta formação que gravou o LP Something About Airplanes, em 1999. O álbum alcançou críticas bastante favoráveis no mundo da música independente e em 2000, seguiu-se We Have the Facts and We're Voting Yes. Por esta altura, Nathan Good deixou a banda e Ben Gibbard acabou por ser o baterista de serviço em todas as músicas. O novo baterista, Michael Schorr, apareceu pela 1ª vez, quando foi gravado The Forbidden Love E.P., nesse mesmo ano.

Em 2001, editaram outro LP, The Photo Album. Uma edição limitada continha 3 canções bónus que seriam mais tarde gravadas e incluídas em The Stability E.P.

Em 2003, houve nova mudança na bateria e Jason McGerr passou a ser o baterista em Transatlanticism, editado nesse mesmo ano.
Transatlanticism recebeu boas críticas e tornou-se no álbum mais vendido da banda. Algumas das faixas apareceram também nas bandas sonoras de algumas séries televisivas como, The O.C., Six Feet Under e CSI: Miami e em 2005 nos filmes The Wedding Crashers e Mean Creek.

O 5º álbum de estúdio, dos Death Cab for Cutie, Plans, foi editado em Agosto de 2005.

Plans, foi muito bem recebido pela crítica e pelos fãs, tendo sido nomeado para os Grammys de 2005, como “Best Alternative Album”.

Uma versão ao vivo da canção "Photobooth," aparece na música do jogo Project Gotham Racing 3, para a Xbox360.

Para ouvir o 1º dos singles, que foram extraídos do álbum Plans: "Soul Meets Body".


Ao que parece, em 2007, haverá novidades da banda em termos de gravações.



segunda-feira, dezembro 04, 2006


porque há bandas onde um só riff basta para as tornar incontornáveis. no caso, goo. SONIC YOUTH.

sexta-feira, dezembro 01, 2006

BAUHAUS.


a vermelho, cor do negro.

domingo, novembro 26, 2006

Youth Group

Como poderia recusar tão simpático convite, ainda por cima, para falar de duas das coisas que mais prazer me dão: a música e novas bandas. Um mistura fervilhante.

Embora ontem tenha colocado uma das músicas deles, lá no Place, não aprofundei a história da banda e, por isso, aproveito e falo um pouco mais deles aqui.


Os Youth Group, são uma banda rock oriunda de Sydney, na Austrália, que se formou nos anos 90, com raízes no Indie Rock de Canberra (capital da Austrália).
Dos elementos originais da banda, só Toby Martin (voz/guitarra) e Danny Allen (bateria) permaneceram. Após várias formações, em 2004, ficou a que hoje se conhece, com a junção de Cameron Emerson-Elliott na guitarra e o antigo baixista dos The Vines, Patrick Matthews.


Embora seja criado em torno da voz de Martin e da produção de Wayne Connolly, o som dos Youth Group é remanescente do power pop / indie rock, de artistas como Matthew Sweet. Contudo, é a empatia e a introspecção, nas letras de Martin, que distinguem os Youth Group de outras bandas semelhantes.
A sua carreira manteve-se sem grande feitos até que o dono da Epitaph Records ouviu o segundo álbum, Skeleton Jar (2004) e o lançou nos E.U.A.
Apesar de a banda ter tocado, em 2003, no South by Southwest Festival, no Texas e de ter tido pequenas aparições nas tournées dos The Vines e The Music, foi a possibilidade de serem a banda de suporte dos Death Cab for Cutie, em 2005, que impulsinonou rapidamente a sua fama.

Em Julho de 2006, a banda lança o seu 3º album, "Casino Twilight Dogs", que contém o single "Forever Young", juntamente com o segundo single, "Catching and Killing".
Os Youth Group venceram, este ano, o prémio “Aria Break-Though Single", com o tema "Forever Young".


Existe uma teoria de que o nome da banda é uma inteligente combinação do nome de uma banda escocesa, os Teenage Fanclub.

O vídeo do cover do tema, dos Alphavile, pode ser visto aqui e outras músicas da banda podem, também, ser ouvidas aqui.


"Tell me your name
A man sits at his computer and moves infinitesimally
Catching and killing
Catching and killing
Oh I feel like I'm winning
Catching and killing"